Amazônia.

Interior do Pará.

Décadas de 1950 e 1960

Situação estritamente confidencial. Romance transubstanciação.

Antônia Carvalho é Antônia Cudefacho. Famosa na região do Baixo Tocantins, segundo a lenda, ela era a ardente paixão de um padre holandês. Foi perseguida política e cedo moldou seu destino feminino como militante dos direitos humanos, em defesa de toda mulher, mas também dos homens humilhados, pobres, negros, encarcerados e oprimidos. Ativista social, era dona de uma casa de tolerância na periferia de Cametá, onde reinava a alegria nas noites de função, animadas por mulheres solteiras e licores de caju do mato.

Inspirado em fatos reais, Salomão Larêdo traz uma narrativa ficcional construída a partir de relatos protagonizados por uma importante mulher amazônica, livre e sedutora, amiga de todos e amada pelo povo.

 

Sobre o autor:

SALOMÃO LARÊDO nasceu na Vila do Carmo cametaense, Pará, em 1949, e mudou- se para a capital Belém, com a família, aos dez anos de idade. Depois de diversos livros de poemas e contos, publicou seu primeiro romance, Sibele Mendes de amor e luta, em 1984, com o qual estreou e abriu caminho para uma estética que posteriormente viria a se concretizar em um de seus maiores clássicos: Cabaré dos Bandidos, de 1989. De profunda relevância no cenário literário amazônico, em sua vasta obra destacam-se também: Senhora das Águas (1982), Remos de Faia (1991), Chapéu Virado (2001), Palácio dos Bares (2003), Olho de boto (2015) e As Icamiabas (2017).

Antônia Cudefacho, de Salomão Larêdo

R$ 49,90Preço
  • ESPECIFICAÇÕES

    Gênero: Romance

    Páginas: 276

    Formato: 14 x 21 cm

    Acabamento: Brochura

    Editora: Empíreo